O Giramundo foi criado em 1970, em Belo Horizonte, pelos artistas plásticos Álvaro Apocalypse, Tereza Veloso e Madu. O grupo montou 36 espetáculos, construindo um acervo de aproximadamente 1.500 bonecos.

A atenção plástica e o cuidado técnico na construção de bonecos e espetáculos, aliados ao interesse pela cultura brasileira, proporcionaram reconhecimento nacional ao Giramundo, colocando-o na história do Teatro Brasileiro. Hoje, a ideia de grupo de teatro, que guiou as atividades do Giramundo durante 30 anos, cede espaço para a de um núcleo multimídia, experimentador do boneco em múltiplos aspectos e do movimento como matérias de pesquisa, onde convivem bonecos reais e imagens digitais. Essa mistura do teatro de bonecos e animação e a atuação como  “museu-teatro-escola” modelam o Giramundo do século XXI. Durante os anos 2000, o grupo se institucionalizou e ampliou sua pauta de atividades, abrindo seu Museu, Escola e Estúdio de Animação e incorporando a criação de produtos como livros, vídeos e brinquedos.

Apesar das profundas mudanças estruturais e de alterações estéticas significativas na última década, a imagem do Giramundo como um grupo clássico, apegado à interpretação da cultura brasileira, ou de um núcleo erudito de artistas plásticos e designers, em constante labor manual para realização de uma produção artesanal e projetada, ainda permanece. A imagem do Giramundo como um grupo de madeira esculpido por artesãos cede lugar a de um grupo que mistura teatro de bonecos e cinema.
Experiências como Pinocchio, Hoje é Dia de Maria, Miniteatro Ecológico, Vinte Mil Léguas Submarinas, Teatro Móvel, Mitologia Fantástico, Metas do Milênio Futura, Dango Balango, Segue o Beco, Teatro do Mundo, Manual do Marionetista, Giramundo Reconta indicam que existe um Giramundo novo em andamento, diferente do Giramundo universitário, reinventado pelas criaturas que ele mesmo inventou.

A trajetória de trabalho do grupo demonstra dois caminhos que desembocam no futuro: a ampliação das abordagens do boneco, por um lado, e a pesquisa sobre movimento, de outro. O centro da pesquisa do Giramundo, ou a sua matéria de trabalho atual, é bipolar. Ao lado do boneco, o movimento, nem sempre juntos. Tudo o que se move passou a interessar e esse interesse provoca contatos e interseções com novos campos. O Giramundo é a resultante dinâmica dessas forças: uma ideia em movimento.

Definições

1 – O Giramundo é um grupo de teatro de bonecos, cujo centro de identidade repousa sobre a atividade de construção de montagens teatrais. Mas seu centro de gravidade vem progressivamente se deslocando para a investigação do movimento em suas múltiplas formas, utilizando-se de diversos meios para pesquisar esse movimento, dentre os quais, o boneco.
Esta translação se iniciou com as pesquisas em vídeo e animação realizadas à partir de 2001, notadamente o teatro de sombra e o stop-motion e com as pesquisas de cena, especialmente da interface entre teatro, dança, cinema, música, robótica e escultura cinética.

2 – O Giramundo é um grupo composto de muitas partes compostas na estrutura museu-teatro-escola-animação-produtos que o distingue, mais como centro de referência do que como grupo de teatro convencional. Esta característica multi e interdisciplinar de funcionamento corresponde a forma orgânica atual do Giramundo.

3 – O Giramundo é um grupo tradicional pois é depositário da experiência artística de um mestre do teatro de bonecos, Álvaro Apocalypse. Tradicional mas não conservador pois, na prática, o respeito e cuidado com a história não se confundem com a repetição. Por isso, conservar suas origens sem perder o ímpeto criativo é um dos mais importantes impulsos do Giramundo.

4 – O Giramundo foi, desde sua criação, um grupo artístico animado por forças diferentes. A influência das artes plásticas, suas correntes e proposições é uma marca da estética do grupo. Até hoje, o Giramundo faz um “teatro plástico”, onde os elementos cênicos são criados à partir de princípios do desenho, escultura e pintura. Por outro lado, a origem histórica artesanal do ofício do marionetista aproximou a oficina do Giramundo a um atelier de artes e ofícios. Hoje, o Giramundo incorporou o Design como filosofia e prática em seu processo criativo e construtivo. Essa adoção de novas metodologias e tecnologias vem transformando o grupo, aproximando-o de processos industriais capazes de ampliar o potencial expressivo da cena e dos bonecos.

5 – O Giramundo iniciou em 2012 a análise de sustentabilidade ambiental dos processos envolvidos em sua prática de construção de espetáculos. Essa iniciativa marca o surgimento de um novo perfil definido pelo respeito à natureza e pela  pesquisa por processos sustentáveis no campo da produção teatral.

PRESS KIT

DOWNLOAD